Imprimir Imprimir

Igreja Neustã

h-um minuto com deus
“Tirou os altos, quebrou as colunas, e deitou abaixo a Asera; e despedaçou a serpente de bronze que Moisés fizera (porquanto até aquele dia os filhos de Israel lhe queimavam incenso), e chamou-lhe Neustã.” – II Reis 18:4.

Durante os quarenta anos de peregrinação no deserto o povo de Deus se rebelou várias vezes contra o Senhor. Numa destas vezes serpentes venenosas apareceram e feriram a muitos de Israel. O Senhor pediu a Moisés que preparasse uma serpente de bronze e todos aqueles que fossem feridos pelas serpentes deveriam olhar para a serpente de bronze. Esta serpente era um símbolo do Salvador que viria e salvaria a todos que o contemplassem.

O povo de Israel, no entanto, não entendeu o simbolismo e acabou transformando aquela serpente de bronze num ídolo ao qual adoravam e queimavam incenso. Esta serpente foi idolatrada durante séculos até que Ezequias, um rei que seguia a vontade de Deus, a despedaçou.

Hoje nós corremos o mesmo risco de Israel: tomar as instituições que no passado foram estabelecidas por Deus e transformá-las em ídolos para nós e para nossos filhos. Esta transformação de algo instituído por Deus em ídolo na verdade não é apenas um risco, mas uma realidade presente na vida eclesiástica de muitos cristãos. Será que hoje não estamos mais dispostos a servir a igreja à qual pertencemos do que servir às pessoas? Não seriam as várias denominações religiosas uma representação de instituições criadas originalmente por Deus para a salvação do ser humano mas que ao passar dos anos transformaram-se em verdadeiras Neustãs, serpentes de bronze que não apontam mais para o Salvador, mas são um fim em si mesmas?

Hoje é tempo de refletir sobre a função da Igreja. Por que Cristo a fundou? Qual o seu objetivo? O foco de Cristo ao fundar sua Igreja estava na instituição ou nas pessoas que seriam beneficiadas e salvas por ele através dela? Pense nisso hoje e não queime incenso a Neustã.

Oração: Amado Deus. Há muitas denominações religiosas neste mundo. Cada uma tem suas práticas, doutrinas e liturgias. Muitas competem entre si e parecem ser um fim em si mesmas. Confesso Senhor que às vezes sinto desânimo ao ver como os homens deturparam a instituição mais sagrada que o Senhor fundou. Por isso peço que o Senhor não me deixe desanimar. Quero em todo momento olhar apenas para o autor e consumador da minha fé, meu Senhor Jesus Cristo. Pai amado. Ajuda-me a ser forte e valorizar aquilo que Jesus valorizou. Ajuda-me a seguir os seus passos e remover a serpente de bronze de minha vida. Quero ser fiel a ti somente e ao meu semelhante. Quero fazer parte de uma igreja que mantenha estes princípios. É o que te peço em nome de Jesus. Amém.